fbpx

Campanhas

OS EXPLORADORES DE ITAKA-ESCOLAPIOS

canoaDepois de finalizar a campanha do curso passado que tinha como objetivo melhorar a qualidade educativa em Kamda (Índia), começamos uma nova aventura comandada por Calasanz com o objetivo de descobrir a realidade escolápia  em África do Oeste, mais em concreto em Senegal.

Nossa expedição toca terra e depois embarcar-se em uma canoa, que irá navegando o rio Senegal, nos apresentará os projetos da rede de solidariedade de Itaka-Escolapios.

CALASANZ Impulsor do direito da educação universal, encabeça a expedição sendo o máximo responsável de tudo o que sucede na mesma. Seu empenho: encher de “Piedade e Letras” todos os lugares do planeta.

QUISAP Nasceu em um povo próximo à escola de Kamda, lugar inserto em plena natureza. É por isto um grande amante do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável. De aí que seu lema seja “verde que te vejo verde”.

MARINE Esta pequena menina africana, apesar de ser a mais jovem da expedição é a responsável junto com Calasanz de guiar ao grupo por sendas e caminhos. Tem a habilidade de decifrar mapas e um grande sentido da orientação. É uma grande conhecedora da realidade escolápia , o que lhe fez uma trabalhadora em favor das pessoas excluídas. De Senegal adotou o lema: “todos estamos na mesma canoa”

SUKAL. Menino europeu, o maior dos expedicionários. Sua missão será a de alimentar a todos os membros da expedição. Eles gostam das campanhas de solidariedade, porque lhe encanta trabalhar com alimentos de todos os países e provar todo tipo de ingredientes. Esse conhecimento faz ser um conhecedor e mediador entre diferentes culturas. Seu lema: “há que colocar sal na vida”.

BLA. Nosso adolescente centro americano é a responsável de comunicar e difundir tudo o que ocorra na expedição. Usa-se como a melhor nas redes sociais. O mesmo se comunica em código com 140 caracteres. Essa capacidade de comunicar lhe fez uma grande mediadora e trabalhadora pela paz, não em vão seu lema é “tudo é questão de diálogo”

JIWA. Este sul americano é a mecânica e “mãozinha” da expedição. Tem uma paixão: montar, desmontar e arrumar todo tipo de mecanismos. Sabe que tudo se pode arrumar com trabalho e investigação. Sabe buscar soluções concretas a problemas grandes e pequenos.